Depressão Infantil e Microfisioterapia


O que é depressão infantil?


Somente nos últimos anos tem havido um aumento nas pesquisas sobre depressão infantil, que agora é reconhecida como um transtorno que pode comprometer gravemente o funcionamento de crianças e adolescentes em muitas áreas da vida, como na escola e nas relações sociais.


Até a década de 1970, era comum acreditar que os transtornos depressivos eram mais comuns em adultos e muito raros em crianças. Além disso, as alterações de humor, o baixo humor e a irritabilidade foram considerados aspectos "naturais" da adolescência, consequências do desenvolvimento e mudança do papel social e familiar.


Na prática clínica, o termo "depressão" é usado para descrever um grupo de sintomas que levam a mudanças significativas no humor, pensamento e comportamento.


Esses sintomas persistem e levam a mudanças nas atividades pessoais e sociais por um período de mais de 2 semanas ou pelo menos.


Sinais e sintomas


O humor deprimido inclui tristeza, choro, irritabilidade, com perda de prazer / interesse nas atividades diárias.


As crianças deprimidas parecem infelizes, sentem-se desanimadas, sem valor e desamparadas.


Alguns autores mostraram que em crianças com diagnóstico de transtorno depressivo prevalece a tendência a manifestar um “locus de controle” externo. Ou seja, não se consideram capazes de influenciar a ocorrência ou não de determinados eventos por meio de seu comportamento.

Um sintoma diferente de transtorno de humor que pode substituir a tristeza é a raiva, que muitas vezes está presente em crianças deprimidas.


As alterações cognitivas causadas pela depressão incluem baixa capacidade de concentração e desempenho reduzido nas atividades escolares. Também existem sentimentos de inutilidade, culpa, falta de autoconfiança.


Na depressão grave, a criança pode ter sentimentos profundos de culpa e se sentir responsável por eventos passados. Também pode haver pensamentos de morte e suicídio.


A depressão pode produzir alterações no sono, com hipersonia (sonolência diurna) ou insônia, na alimentação, com inapetência ou alimentação excessiva; mudanças no nível de energia (fadiga fácil) ou motivação (dificuldade em iniciar atividades).


Em geral, as crianças tendem a ter depressão junto com outros transtornos e, em geral, quanto mais sintomas, mais grave é a depressão.


Para casos "abaixo do limiar", é importante compreender que a criança, embora não cumpra todos os critérios para fazer um diagnóstico, é vulnerável a desenvolver depressão total no futuro.


Como no adulto, também na criança as causas são diferentes e de tipo biológico, psicológico e social. A maioria dos adolescentes experimenta dificuldades sociais e familiares de longa data e um mau funcionamento geral da família.


Em alguns casos, há um fator precipitante específico, um evento ou circunstância que pode ser identificado no início do transtorno. Em outros casos, há uma lenta deterioração das habilidades sociais e de enfrentamento (o enfrentamento de situações de vida) sem desencadear eventos. Muitas vezes não identificamos ou se identificamos o evento causal existe a dificuldade em superar a questão. Por esse motivo a Microfisioterapia é muito bem vinda nesses casos porque ela vai identificar e corrigir o evento causador desse problema tão comprometedor da saúde em todos os aspectos e não só da saúde da criança mas da saúde dos pais e das pessoas que convivem na mesma casa. Procure saber mais sobre a Microfisioterapia e como ela pode te auxiliar.

#depressãoinfantil #depressãoinfantilemicrofisioterapia #tratamentoparadepressãoinfantil