Timidez Infantil e Ansiedade Social


O transtorno de ansiedade social , também chamado de fobia social , é uma condição caracterizada por autoconsciência excessiva que está além da timidez normal.


Crianças e adolescentes com transtorno de ansiedade social estão excessivamente preocupados com a possibilidade de estarem fazendo algo embaraçoso ou humilhante e que os outros pensem mal deles.


Eles estão tão preocupados em serem julgados negativamente pelos outros que evitam fazer ou dizer qualquer coisa que possa lhes causar humilhação. Existem situações as quais podem ter ficado registradas na criança e a partir desse registro elas iniciam um processo de timidez, ansiedade e distúrbios de comportamento levando a um prejuízo, não só psicoemocional como físico, iniciam sintomas físicos e a médio e longo prazo certamente outras manifestações físicas surgirão a ponto de necessitar de tratamentos de saúde.


Para que possamos permitir que o próprio corpo se autorregule, liberando essas questões que o levam a tais comportamentos a Microfisioterapia é extremamente eficaz. Crianças com uma sessão mudam o comportamento e prevenimos muitos problemas que podemos ocorrer consequentes da manutenção do comportamento.


Entenda um pouco mais sobre esses comportamentos


As situações temidas por crianças e adolescentes com transtorno de ansiedade social se enquadram em duas categorias:


· Com base no desempenho

· Com base na interação


Situações baseadas no desempenho


São situações em que crianças e jovens se sentem observados durante a realização de uma ação.


Aqui estão alguns exemplos:


· Falar em público (sendo questionado na frente da classe);

· Participação na aula (fazer ou responder perguntas, ler em voz alta);

· Comer na frente dos outros;

· Usar banheiros públicos;

· Escrever na frente de outras pessoas (por exemplo, no quadro-negro);

· Entrar em uma sala ou sala de aula onde todos já estejam sentados.


Situações baseadas na interação


Incluem todas as situações em que crianças e adolescentes interagem com outras pessoas e desenvolvem relacionamentos mais próximos.


Por exemplo:


· Conhecer pessoas novas;

· Falar com os colegas de classe;

· Convidar amigos;

· Participar de eventos sociais (por exemplo, festas de aniversário);

· Conversar com adultos, como professores;

· Trabalhar em grupo na escola;

· Expressar suas opiniões.


O medo e a ansiedade são considerados incontroláveis, embora as crianças mais velhas muitas vezes percebam que suas preocupações não são razoáveis. O transtorno de ansiedade social afeta principalmente adolescentes, embora possa começar na infância. Se não for tratada, pode levar ao isolamento e à depressão.


O transtorno causa prejuízo significativo no relacionamento com os pares, no desempenho escolar e no funcionamento familiar.


TRANSTORNO DE ANSIEDADE SOCIAL EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES: COMO SE MANIFESTA?


Os jovens com transtorno de ansiedade social muitas vezes preocupam-se em fornecer uma autoimagem negativa. Eles têm medo de falar ou agir estupidamente, de serem rejeitados pelos colegas ou de cometer erros na frente dos outros.


Embora os adultos com transtorno de ansiedade social reconheçam o caráter excessivo da angústia vivenciada em situações sociais, pode não haver tal consciência na idade do desenvolvimento.

As crianças mais novas podem protestar quando forçadas a se afastar dos pais, ter acessos de raiva ao conhecer novas pessoas ou colegas de classe, recusar-se a brincar com os amigos ou fingir que está doente em um evento social.


Por outro lado, os adolescentes podem simplesmente evitar reuniões em grupo ou mostrar pouco interesse em fazer novos amigos.


O transtorno de ansiedade social é frequentemente identificado por volta dos 12 anos, quando as crianças devem aumentar suas atividades sociais com os colegas dentro e fora do ambiente escolar.


Na infância, o transtorno de ansiedade social se manifesta com os seguintes sintomas:


· Medo ou falta de interesse em experimentar coisas novas.

· Medo de falar com estranhos.

· Desconforto extremo quando você é o centro das atenções.

· Evitar contato com os olhos.

· Dificuldade em falar em público ou na frente da classe.

· Dificuldade em fazer novos amigos.

· Auto-exclusão social.

· Preocupações com possíveis avaliações negativas (mesmo quando não estão sendo avaliados).

· Dor de estômago.

· Tremores.

· Suor excessivo.


TRANSTORNO DE ANSIEDADE SOCIAL: COMO ACONTECE EM CASA?


Em casa, as crianças com transtorno de ansiedade social podem apresentar os seguintes sintomas:


· Medo extremo em situações onde estranhos estão presentes.

· Medo extremo em situações sociais em que o desempenho é necessário por medo de ser capaz de agir de forma constrangedora.

· Ataques de ansiedade que ocorrem antes ou no momento em que os adolescentes têm relacionamentos sociais (como ir a uma festa, conversar na frente de outras pessoas, pegar algo emprestado). Os sintomas podem ser tão graves que se assemelham a ataques de pânico generalizados caracterizados por palpitações, dor no peito, sudorese, tremores, náuseas, dormência ou formigamento, ondas de calor, falta de ar e tontura.

· Evitar situações sociais. Algumas crianças podem chorar, gemer ou ter acessos de raiva para evitar reuniões sociais. Outros podem ser capazes de tolerá-los apenas na presença de uma pessoa familiarizada com eles.

· Grave desconforto ao realizar rotinas sociais, como iniciar ou manter uma conversa, conversar com um adulto, brincar em um pequeno grupo ou ir a uma festa de aniversário.

· Rejeição à escola, causada por preocupações com o desempenho social e escolar.

· Relutância em participar de viagens ou outras atividades. A criança pode decidir não sair para jantar, não encontrar amigos, não brincar com eles, ou mesmo não participar de atividades extracurriculares.


TRANSTORNO DE ANSIEDADE SOCIAL: COMO SE MANIFESTA NA ESCOLA?


Algumas crianças ou adolescentes com transtorno de ansiedade social podem tentar esconder seus sintomas quando estão na escola, tornando-os mais evidentes apenas no ambiente familiar.


Na escola, uma criança com fobia social pode ter uma combinação dos seguintes sintomas:


· Dificuldade para entrar na escola, atrasos frequentes e acessos de raiva matinais.

· Recusa para a escola. A ansiedade pode ser tão forte que pode levar a criança a insistir com os pais para ficar em casa.

· Baixa auto-estima.

· Dificuldades de concentração que afetam o desempenho escolar.

· Dificuldade em realizar tarefas em sala de aula devido à dificuldade de concentração.

· Dificuldade em falar na frente da classe.

· Dificuldade de exposição durante os interrogatórios.

· Frequentes bloqueios de memória ou lapsos durante as aulas ou questionamentos.

· Pouca ou nenhuma participação nas discussões em classe.

· Queixas físicas, como dor de estômago, tontura, frequência cardíaca acelerada, tremores.

· Evitar contato com os olhos.


Agende uma sessão de Microfisioterapia. Os benefícios são muito positivos, rápidos e duradouros.

#timidezinfantil #ansiedadenacriança #fobiasocialnacriança #ansiedadeinfantil